Eu jogo demais.

Tenho passado tempo demais na frente do computador jogando, horas e horas a fio, construindo e desconstruindo cidades, restaurantes, quebrando blocos e pareando frutinhas, balas ou qualquer coisa parecida.

Tenho gasto tempo demais nesses joguinhos, bendito/maldito Facebook. Totalmente viciada nessa porcaria, sei disso, e como qualquer viciado diz – quando eu quiser paro!

Mas isso não é bem verdade; as vezes tento, mas não consigo – preciso de reabilitação?

Vou começar a me vigiar com o uso do Facebook, preciso vir mais aqui, escrever, postar minhas fotos, largar mão de ser preguiçosa e achar que o Instagram é o meu blog.

Vejamos o passo a passo da mudança, quem sabe dá certo? Tipo um regime, uma dieta.

#começo na segunda-feira

 

 

Em 5 meses minha vida deu uma mexida que até agora estou digerindo, aliás, ando digerindo muita coisa, tanta coisa que a cabeça não tem tanta conexão com os dedos e por isso sumi.

Claro que não fui desesperadamente reclamada pelos meus leitores imaginários, mas tive uma crise de consciência e sempre me cobrei de voltar, o quanto antes, só que não consegui… acho que agora talvez seja o tempo certo.

Resumindo os 5 meses fora:

– cirurgia nos quadris

– pedido de demissão

– 2 meses de cama – tempo demais para pensar

– fisioterapia

– terapia

– carro novo

Agora, tentando botar a bagunça que 2 meses de cama causou… estou aqui… sei lá se isso vai fazer diferença para alguém, faz pra mim, e por enquanto é isso que importa!

Quantas vezes na vida a gente muda de opinião, visão, estilo… e de tudo aquilo que usam para nos definir… quantos rótulos?

Até os melhores produtos mudam de aparência de tempos em tempos… melhoram-se as logomarcas, as cores e o apelo por novos consumidores, de preferência sem perder os antigos.

Quando podemos nos reinventar? Nas idades terminadas em 0, 5, pares, impares? Pós-cirúrgicos, nascimentos, mortes, mágoas?

A vida é muito longa para sermos sempre os mesmos? Ou curta demais para os ciclos pessoais?

A idade vai passando e a gente vai somando experiências, subtraindo traumas ou inventando outros… a gente muda, não muito, nem tanto; parece que  sempre que é uma grande virada só que a essência fica, pra manter a gente no fora do eixo.

Domingo abri o jornal e comecei a procurar um emprego, rsrsrs, ridícula eu, sem poder andar, sem poder ficar de pé, sem sair sozinha… procurar emprego! Simplesmente ridícula.

Tanta coisa voando na minha cabeça que não consigo dar atenção a nada, quero resolver um monte de coisa mas não enxergo direito os problemas, atropelo as decisões com erros e esquecimento!

Conceito: Aquele banho mais demorado da semana onde se lava os cantinhos negligenciados pelas duchas, que adicionado de música,  além de lavar o corpo lava a alma.

água e sabão

Digite seu endereço de email para acompanhar esse blog e receber notificações de novos posts por email.

Junte-se a 514 outros seguidores

Visitas

  • 31.023 chás e cafezinhos servidos

Atualizações Twitter